MENU

sexta-feira, 3 de abril de 2015

PEREGRINO



Quando teu navio

Ancorado muito tempo no porto,

Te deixar a impressão enganosa

De ser uma casa,

Quando o teu navio

Começar a criar raízes

Na estagnação do cais,

Faze-te ao largo.

É preciso salvar a qualquer preço

A alma viajora de teu barco


E tua alma de peregrino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário