MENU

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

ATUALIDADES: 75 ANOS DO NASCIMENTO DE Pe. HENRIQUE





O Pe. Antônio Henrique Pereira da Silva Neto nasceu no Recife, em 28 de outubro de 1940. Filho mais velho, de doze irmãos, em 1965 foi ordenado sacerdote na Matriz Nossa Senhora do Rosário da Torre, pelo então arcebispo de Olinda e Recife, Dom Helder Camara.


Pe. Henrique, como era conhecido, era sociólogo e professor. Trabalhou nos colégios Marista, Nóbrega e Vera Cruz, na Escola Técnica do Derby e na Faculdade de Ciências Sociais, além de ensinar no Juvenato Dom Vital e na Cúria Metropolitana do Recife.


Foi coordenador da Pastoral da Juventude na Arquidiocese. Lidando sempre com jovens trabalhava temas como conflito de gerações e drogas e procurava sempre despertar uma visão mais humana e consciente diante da sociedade. Nesse trabalho também mantinha contato com estudantes cassados e, a exemplo de seu arcebispo, Dom Helder, chamava a atenção por ser um grande opositor aos métodos de repressão utilizados pelo regime militar. Esse seu combate à violência praticada pela ditadura militar lhe rendeu várias ameaças vindas do Comando de Caça aos Comunistas (CCC), custando-lhe, por fim, a própria vida.

Aos 28 anos de idade, no dia 26 de maio de 1969, teve sua jovem vida interrompida de maneira cruel e violenta, depois de ser sequestrado na Praça de Parnamirim, saindo de uma reunião com um grupo de jovens católicos. Seu corpo foi encontrado, na manhã do dia seguinte, num matagal na Cidade Universitária, com marcas de espancamento, queimaduras, cortes profundos por todo o corpo e ferimentos produzidos por arma de fogo.


O assassinato de Pe. Henrique provocou uma verdadeira comoção na cidade do Recife. O enterro reuniu milhares de pessoas que saíram em cortejo da Igreja do Espinheiro até o cemitério da Várzea. Sua morte, sendo ele muito próximo a Dom Helder, sugeriu a possibilidade de uma retaliação, por parte dos militares, para obrigar Dom Helder a calar as denúncias que fazia ao regime militar.


Em Pernambuco, os efeitos foram contrários aos que a ditadura esperava. O movimento contra desmandos da ditadura aumentou, mesmo com as perseguições que se seguiram à família de Pe. Henrique e aos jovens ligados a ele. Um de seus irmãos passou a ser vítima de perseguição, enquanto seu pai foi preso e interrogado por cinco horas.

O historiador Diogo Cunha explica que sua missão não era exatamente política, de enfrentamento ao regime. Entretanto o regime militar levou sua atuação para o lado político por dois fatores: por trabalhar com jovens e por ser ligado a Dom Helder. Eram tempos difíceis e a ditadura temia uma revolução estudantil. Mas, ainda segundo o historiador, a missão de Pe. Henrique era aproximar os jovens e suas famílias, promovendo união entre pais e filhos.

Os restos mortais de Pe. Henrique repousam ao lado dos de Dom Helder e de Dom Lamartine, na Catedral da Sé de Olinda.


Para celebrar a memória de Pe. Henrique a vereadora Isabella Roldão realizou dois eventos, lembrando a vida e o martírio desse jovem padre que perdeu a sua vida lutando pela direito à vida dos irmãos.
O primeiro evento aconteceu nesse sábado, 24, às 8h da manhã, com um abraço à Praça do Parnamirim, local onde ele foi visto com vida pela última vez.

O segundo evento foi uma Sessão Solene, nessa terça-feira, 27, às 9h da manhã, no plenário da Câmara Municipal do Recife. 




A mesa da Sessão Solene começou sendo presidida pelo presidente da Casa, o vereador Vicente André Gomes que, após a abertura, passou a presidência para a vereadora Isabella Roldão.




A mesa foi composta ainda por Pe. Gabriel Hofstede , O ex-deputado estadual Roldão Joaquim, Pe. Josenildo Tavares, Tadeu Colares, Isaíras Pereira Padovan, irmã de Pe. Henrique e o secretário Executivo de Direitos Humanos do Recife, Paulo Moraes.


Os membros da Diretoria e do Conselho do IDHeC, Edelomar Barbosa, Elizabeth Barbosa, Laura Sousa, Manoel Moraes e Normâdia Medeiros, estiveram presentes à homenagem, assim como, entre outros,  a ex-secretária municipal de educação, Edla Soares, Leda Telles, do movimento de Cursilhos, Pe. Edwaldo Gomes e o vereador de Olinda, Marcelo Santa Cruz.


FOTOS DA HOMENAGEM NA CÂMARA MUNICIPAL DO RECIFE




Nenhum comentário:

Postar um comentário