MENU

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

LINHA DO TEMPO: JUBILEU DE OURO DA OPERAÇÃO MENSAGEIRA DA ESPERANÇA




Entre as décadas de 1960 e 1970, a cidade do Recife era, continuamente, assolada por terríveis enchentes do Rio Capibaribe, verdadeiras calamidades que se abatiam em vários bairros, de ricos e de pobres. Naturalmente, os pobres eram os mais atingidos e sacrificados, sobretudo nas áreas ribeirinhas pois, além de ficar desabrigados, perdiam seus pertences e eram os principais alvos das doenças, resultantes do contato com as águas fétidas. Abrigados em igrejas e escolas, os pobres dependiam da caridade alheia.

Foi nessa época que nasceu a Operação Esperança, como necessidade de criar sinais de Esperança e de luta no meio do povo desolado.

Complementando os jubileus de ouro desse ano, como o do Pacto das Catacumbas e o Concílio Vatciano II,  fundada em 02 de dezembro de 1965, no Iate Clube do Recife, a Operação Esperança também completa 50 anos.
A preocupação inicial era suprir as necessidades básicas e instantâneas: alimentos e roupas. Mas Dom Helder ia mais além: caminhar além do assistencialismo. Na Operação Esperança, havia o senso da organização do povo e a perspectiva de torná-lo senhor do próprio destino. Quantos Conselhos de Moradores e grupos de Encontro de Irmãos nasceram durante as enchentes!

Após sua fundação houve a distribuição de funções entre os diversos parceiros. Por exemplo, a SUDENE teve a tarefa de elaborar os Estatutos da Operação Esperança, lavrados em cartório de Títulos e Documentos, com uma diretoria de caráter jurídico.

No governo de Nilo Coelho a OE foi elevada à categoria de Pessoa Jurídica de Direito Privado, com sede no Recife, reconhecida pelo Decreto Lei Nº 206 de 25/02/1970. Em 1979 a OE passou por mudanças e novos estatutos foram lavrados em cartório de títulos e documentos.

A Operação Esperança é uma sociedade de direito privado sem fins lucrativos, com fórum e sede na cidade do Recife, por tempo indeterminado, em caráter jurídico.

Dom Helder foi o homem da Esperança!

“Quanto mais escura a noite, mais carrega em si a madrugada”. Sua frase tornou-se célebre e a Operação Esperança  se espalhou pela cidade e pelo campo, na animação dos movimentos populares.

Dom Helder semeou, no meio do povo, a certeza de que Deus fala pelos acontecimentos, que são apelos para uma resposta consciente. Os profetas são os homens que têm mais antenas para perceber estes sinais...

PROMOÇÕES da OPERAÇÃO ESPERANÇA

Treinamentos, capacitações, organização dos grupos de trabalho com objetivo de fortalecer o trabalho em equipe, o espírito de diálogo e a participação com responsabilidade. As comissões de trabalho da OE foram formadas por pessoas que participaram da 1ª FASE DA CALAMIDADE DAS CHEIAS de 1965.

FUNDADORES DA OPERAÇÃO ESPERANÇA

DOM HELDER CAMARA – AOR

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO

PREFEITURA MUNICIPAL DO RECIFE

CAMARA MUNICIPAL DO RECIFE

SUDENE

LIONS CLUB DO RECIFE

ROTARY CLUBE DO RECIFE

CENTRO ISRAELITA DE PERNAMBUCO

FEDERAÇÃO ESPÍRITA DE PERNAMBUCO

LBA

CRUZADA DEMOCRÁTICA FEMININA

FEDERAÇÃO DAS BANDEIRANTES DO BRASIL

UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL

ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL DE PERNAMBUCO

ASSOCIAÇÃO DOS FORNECEDORES DE CANA DE PERNAMBUCO

CÁRITAS REGIONAL DO BRASIL

COOPERARTE

ENGENHOS COMPRADOS PELA OPERAÇÃO ESPERANÇA


ENGENHO IPIRANGA  

Comprado em 1971, fica no Cabo de Santo Agostinho, a 45Km da cidade do Recife. Foi adquirido com a ajuda de recursos  da  MISEREOR,  uma instituição fundada pela Igreja Católica da Alemanha que apoia projetos de desenvolvimento realizados por entidades eclesiais, organizações não-governamentais, cooperativas e organizações de base na América Latina, África e Ásia. 

O engenho tem 457ha, com 90ha improdutivo, 351ha de área produtiva e 
40 famílias.



ENGENHO TAQUARI

Comprado em 1972, com recursos da ADVENIAT, instituição fundada em 1961, pela Conferência Episcopal Alemã, com o objetivo de prestar auxílio pastoral e social a Igrejas locais na América Latina e no Caribe.

Situa-se em Sirinhaem-PE e Possui 450 ha de área cultivável, com 22 famílias que cultivam mandioca e outras lavouras

ENGENHO GUARETAMA 

Fica na cidade de  Bonito- PE e foi Comprado em 1974, com o dinheiro do Premio Popular da Paz que Dom Helder recebeu em Oslo, na Noruega.

38 famílias residem no Engenho, com lotes de 10ha para cada uma. O Engenho tem 903,5ha com 35% de terra improdutiva. Sua principal produção é Maracujá.

TURURU – 1983  - LOTEAMENTO JUSTIÇA E PAZ

Em 1981 com a expulsão dos moradores da COHAB, 80 famílias remanescentes das áreas urbanas da Operação Esperança, RESIDENCIAL MARANGUAPE II – JANGA /PAULISTA, a Operação Esperança acionou a Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Olinda e Recife  para resolver a questão da expulsão dos moradores. 

A primeira  proposta foi transferir os moradores para um terreno da AOR, com 22,8 ha e depois, lotear e doar como foi feito nos engenhos. 

Foi feito um convênio com a AOR para legalização da doação e o desenvolvimento de um programa social e comunitário, com a OE e a AOR e suas normas pastorais e com a Prefeitura de Paulista, que construiu o posto de saúde. 

A COHAB arborizou e fez o projeto da escola e da creche. A FAFIRE contribui com o trabalho de organização comunitária, a Academia Santa Gertrudes criou a escola de ensino fundamental e alguns lotes foram destinados para construção de Igrejas, bares, centro espírita e um terreiro de Umbanda. 

Foi construído a Associação dos Moradores, o Centro Comunitário João Paulo II, com  formação de grupos de mulheres e  cursos e treinamentos.

A Operação foi e continua sendo um meio de  tornar realidade a Esperança que Dom Helder sempre teve de transformar a vida daqueles que mais precisam. 


Fonte: Monografia de Hilda Elaine Barros da Silva

Título: “Dinamismo e Devoção: A Atuação de Dom Helder Camara na Operação Esperança (1965-1987)” CEDHOC

Nenhum comentário:

Postar um comentário