MENU

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

UM OLHAR SOBRE A CIDADE: ADVENTO

Sábado, 21.12.1974

        Meus queridos Amigos,

Estamos cada vez mais próximos do Natal.

A experiência ensina que, muitas vezes, a preocupação de compras a fazer, de visitas a receber e a pagar, ida a formaturas, casamentos e festinhas, que se multiplicam nestes dias, tudo isso acaba nos deixando mais distraídos, cansados, distantes, o que não ajuda muito o recolhimento ideal para a Grande Noite.

Ajuda excelente para que entremos no clima do Natal e aproveitemos o máximo, o mistério da Noite Feliz, é pensar no que se passou no íntimo de Nossa Senhora nos últimos dias, nas últimas horas antes do nascimento do Menino Deus.

Claro que ela se conservou atenciosa e amável para todos. A quem lhe falava, ela respondia, com interesse e simpatia. Mas, sem quebra do interesse por todos, foi aproveitando os instantes de silêncio para mergulhar, sempre mais, no mistério que se passava com ela.

O Filho de Deus, feito homem, ia nascer e nascer de suas entranhas. Ela carregava no seio o Salvador dos Homens. Como há de ter aproveitado Nossa Senhora para pedir ao seu Filho Divino por todos os homens de todos os lugares e de todos os tempos!...

Vendo S. José, tão bom, lutando em sua Oficina lutando pelo pão de cada dia, Nossa Senhora deve ter pedido muito pelos operários, pelos Pais de Família sacrificados como são os dos lares pobres...

Lembrando-se de que batera em vão, com São José, de porta em porta, pedindo abrigo, Maria há de ter pedido pelos Desabrigados, mas certamente há de ter pedido a Deus que tocasse o coração dos que podendo abrir portas, fecham; podendo abrigar, deixam pessoas ao relento...

Pensando em seus pais, São Joaquim e Senhora Santana, agradecendo a Deus os Pais santos que tinha tido, com certeza pediu por todos os pais, pelos bons cumpridores dos deveres, e pelos que não se entendem e brigam, ou não cumprem suas obrigações...

Lembrando-se dos seus tempos de menina e de mocinha, Nossa Senhora certamente pediu pelas crianças e pelos jovens...

Sentindo a criança estremecer no seu seio, sentindo-se aproximar-se a hora de dar a luz o Filho que era a própria Luz do Mundo, Maria há de ter pedido particularmente pelas Mães... Por todas as mães, sem deixar ninguém de fora...

Aprendamos com Maria, sem quebra de simplicidade de falar, de conversar, de alegrar-nos, de rir, de passear, aprendamos com Nossa Senhora a rezar sem palavras, pensando nas criaturas e em suas necessidades: pensando em Deus, na sua bondade e no seu poder.


Não deixemos que o Natal escorra em nossa vida, como a água que escorre em nossas mãos... Seguremos com as duas mãos a graça do Natal que o Pai nos permite viver...

Nenhum comentário:

Postar um comentário