MENU

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

A VIGÍLIA QUE ILUMINOU A NOITE DAS GRAÇAS


A noite foi chegando, o céu escurecendo e uma lua surgindo, embora incompleta, teimando em iluminar o céu.



E, com a noite, as pessoas foram chegando, uma a uma, em duplas, em bandos... e eram recebidas pelo próprio Dom Helder. Ou melhor, pelo boneco de Dom Helder, estampando um sorriso largo e com os braços abertos, acolhendo a todos.


O jardim do Palácio dos Manguinhos se preparou para receber as pessoas, com banners com frases de Dom Helder, espalhados e, ao centro, o Dom da Esperança.

Para quem vinha direto do trabalho, uma mesa com pães, bolos e sucos prometia saciar, primeiro, a fome de pão.

As cadeiras foram poucas para acomodar as cerca de 500 pessoas  que ali chegaram, para participar da 2ª Vigília da Esperança Fórum Articulação de Leigos, que comemorou os 108 anos de nascimento de Dom Helder e que teve como tema a Reforma da Previdência Social.


Conduzida por Valmir e animada pela voz de Heloísa, a vigília foi, segundo várias opiniões um dos eventos mais emocionantes dos últimos tempos na Arquidiocese de Olinda e Recife.


Foi um momento de reencontros e apresentações. De encantamento e de esclarecimento. De resgate da memória de Dom Helder e de reflexão sobre a Reforma da Previdência. De mística e espiritualidade.

Jôsy do Mire e João Paulo, do Mire e do Encontro da Partilha leram dez frases de Dom Helder, dirigidas ao trabalhador. Em seguida, Bete Barbosa, conselheira do IDHeC, falou sobre o profetismo de Dom Helder.



Os diversos grupos que compõem o Fórum Articulação de Leigos Cristãos foram apresentados, com a entrada de representantes de cada um portando um símbolo que definisse o grupo. Outros grupos, instituições, pastorais e movimentos presentes, também se apresentaram levando seus símbolos ou anunciando a sua presença. Foram tantas as representações que até ficou difícil contar. O IDHeC esteve presente através de seus diretores e conselheiras. Representando o IDHeC o diretor-executivo Antônio Carlos levou o prêmio da paz recebido por Dom Helder, em 1983, um dos prêmios mais simbólicos do seu Ecumenismo sem fronteiras: “Niwano Peace Prize”, atribuído pela 1ª vez pela comunidade budista Niwano Peace Foundation – Japão, e justo a um bispo católico. A Diretora Cultural, Normândia, representou o Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova levando o Jornal publicado pelo grupo. A Diretora de Patrimônio, Christina Ribeiro, representou o grupo Fé e Política Dom Helder, levando uma cruz com os nomes de alguns mártires que viveram a fé e a politica dedicando a vida à luta pelos direitos humanos. A Diretora-secretária Maria Laura, representou a RCB – Renovação Cristã do Brasil levando o boletim publicado pelo movimento. O Encontro da Partilha foi representado por Aldenize, que levou uma cesta de pães, entre dezenas de outros grupos.

A Universidade Católica de Pernambuco - Unicap foi muito bem representada pelos  padres Lúcio, Mota, Kiko e Marcos. O Pe. Mota falou sobre o emocionante momento em que ele, em Roma, entregou ao papa Francisco As Obras Completas, que contêm as Cartas pré e pós-conciliares de Dom Helder.


O arcebispo Dom Fernando Saburido participou de todo o evento, ressaltando a necessidade do acolhimento aos mais pobres e excluídos, destacando a importância do protagonismo dos leigos nos processos políticos e sociais. “A Igreja conta muito com a força dos cristãos leigos para agir em defesa dos trabalhadores e dos mais necessitados e expressa isso oficialmente no documento 105 da CNBB, convocando para que sejam sal da terra e luz do mundo”, afirmou.

Ressaltou ainda a importância de Dom Helder para a Arquidiocese de Olinda e Recife e disse sentir-se honrado por ter sido ordenado por ele e por ser seu sucessor na Arquidiocese.



Lucinha Moreira, conselheira do IDHeC, deu um  testemunho do tempo em que conviveu com o Dom. Para dar o tom do quadro atual em que vivemos em nosso país houve o depoimento de uma jovem que participou das ocupações dos estudantes secundários, de um aposentado, de uma desempregada e de um trabalhador rural.

O Diretor Financeiro do IDHeC, Edelomar, leu um texto de Dom Helder escrito para os trabalhadores.

O advogado Claudio Ferreira, membro do Conselho de Direitos Humanos da OAB fez uma reflexão sobre a Reforma da Previdência, alertando para as suas consequências prejudiciais ao trabalhador.


Vera, do CEBI, leu a Oração dos Trabalhadores, escrita por Dom Helder Camara e Leda Telles, da Tenda da Fé, prestou homenagem a D. Marisa Letícia, ao pedir um minuto de silêncio para ela, em nome de todas as vítimas do ódio, da intolerância e da violência em nosso País.


Após a leitura do Evangelho, o monge Marcelo Barros e a profa. Malu Alessio fizeram o fechamento do que foi falado na Vigília.

Em seguida houve um dos emocionantes momentos da noite, quando todos, cada um com uma vela acesa na mão,  cantaram juntos o Pai Nosso dos Mártires e, em seguida, rezaram o Pai Nosso.

A bênção final foi dada pelo arcebispo Dom Fernando Saburido.

Fátima Glasner , vestida com a fantasia do bloco da Saudade,  interpretou o poema de Dom Helder sobre o folião que morreu fantasiado, em pleno carnaval.


E, encerrando o evento, o bloco da saudade, com a presença de Getúlio Cavalcanti, tocou e cantou frevos de bloco, contagiando todos os presentes, que dançaram juntos. Para fechar a noite o bloco da saudade cantou frevo O DOM DA PAZ, composto por Getúlio Cavalcanti, em 1999, em homenagem a Dom Helder:

O Dom do Amor, o Dom da Paz, apareceu um dia
E nunca mais nos deixou, ô ô
Ah, meu Recife, quanta alegria

Seu coração guarda doçuras de um sagrado mel

Dom da Paz, tu és muito mais, és um Dom do Céu.

Quando o evento acabou, as pessoas foram saindo, alegres, comentando aqui e ali, distribuindo sorrisos e abraços. Outras ficaram e, voluntariamente ajudaram a arrumar o loca, empilhando cadeiras, recolhendo o lixo, ajudando a aguardar o material usado, em uma demonstração de solidariedade aos que organizaram a Vigília com tanto carinho.

O Fórum Articulação de Leigos Cristãos é composto por vários grupos, movimentos, ONGs, pastorais e serviços, que se uniram para promover as duas Vigílias da Esperança, com dedicação, empenho e, sobretudo, Fé. A fé que ilumina os caminhos e conduz à construção de um mundo melhor para todos.

Compõem o Fórum:
CEBs – Comunidades Eclesiais de Base
CEBI - Centro de Estudos Bíblicos
Centro Educacional Profissionalizante do Flau (Turma do Flau)
Fé e Política Dom Helder Câmara
Grupo de Leigos Católicos Igreja Nova
Grupo de Partilha Amigos para Sempre na Fé e na Vida
Encontro da Partilha
Tenda da Fé
IDHeC - Instituto Dom Helder Câmara
Mística e Revolução - MIRE
Movimento de Cursilhos de Cristandade da Arquidiocese de Olinda e Recife
Movimento de Evangelização Encontro de Irmãos
Movimento de Mulheres Contra o Desemprego
MPC – Movimento de Profissionais Cristãos
MTC/NE II  - Movimento de Trabalhadores Cristãos
Pastoral Carcerária
Pastoral da Saúde
PJMP – Pastoral da Juventude do Meio Popular
RCB – Renovação Cristã do Brasil





Nenhum comentário:

Postar um comentário