MENU

domingo, 26 de março de 2017

MAIS UM AMIGO QUE SE JUNTA AO DOM


O por do sol desse sábado, 25 de março, foi diferente para a Arquidiocese de Olinda e Recife ao anunciar a partida para a Casa do Pai de um grande pastor: Dom Marcelo Pinto Carvalheira.

Aos 88 anos de idade e com a saúde debilitada seu corpo maltratado pela doença já há vários anos, agora repousa em paz.

Seu espírito, iluminado por sua vida dedicada a pregar e viver os Evangelhos, com toda certeza, foi recebido com festa no céu. E, a frente da comissão de recepção, seu grande amigo Dom Helder.


Nascido em Recife em uma data bastante significativa para o povo trabalhador, 1º de Maio, Dom Marcelo completaria 89 anos.

Aos 25 anos foi ordenado padre em Roma. Após sua ordenação ele foi professor  de Teologia e Diretor Espiritual do Seminário de Olinda, reitor do Seminário Regional do Nordeste Olinda; Assistente Eclesiástico da Ação Católica e Subsecretário do Regional Nordeste II da CNBB.

Dom Marcelo foi um dos mais importantes colaboradores de Dom Helder durante seus arcebispado em Olinda e Recife, estando ao seu lado na defesa dos perseguidos pela ditatura militar. Em consequência de suas ações em favor dos perseguidos foi, também ele, preso e torturado. Podemos ler sobre essa dura fase de sua vida no livro Batismo de Sangue, de Frei Betto. Em 2009 o Estado reconheceu os danos causados a Dom Marcelo e o indenizou com a quantia de R$ 100 mil reais, como reparação econômica.

Em 29 de outubro de 1975 foi nomeado bispo auxiliar da Paraíba, recebendo a sé titular de Bitilio, que abrangia 25 cidades. Foi ordenado bispo, aos 47 anos, por Dom Helder, Dom Aloísio Lorscheider e Dom José Maria Pires.

Seis anos depois foi designado bispo de Guarabira, uma diocese recém criada na Paraíba. E, com a aposentadoria compulsória de Dm José Maria Pires, foi designado arcebispo da Paraíba em 5 de maio de 1995, onde permaneceu até os 76 anos, em 2004.

Depois de sagrado bispo Dom Marcelo também exerceu várias funções, tais como: membro da Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB Nacional (1987-1991 e 1995-1998), responsável pelo setor Leigos e CEBs; Vice-Presidente da CNBB Nacional (1998 a 2004). Participou do Sínodo dos Bispos sobre os Leigos e da Quarta Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano]], em Santo Domingo. Foi delegado para a  Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a América, eleito em   Assembleia da CNBB e confirmado pelo Papa João Paulo II (1997).

Dom Marcelo tem três livros publicados, sendo dois em colaboração com outros autores : Crer em nossos dias  e A Evangelização hoje, após o Sínodo sobre a Evangelização, ambos da Editora Vozes. E ainda São José: o Anawin de Deus, pela Editora Letra Capital.

De acordo com uma postagem de um sobrinho seu, também chamado Marcelo, ele se engasgou durante o jantar, foi levado ao hospital, mas não resistiu.

O corpo de dom Marcelo Carvalheira está sendo velado desde às 10h da manhã de hoje, na Catedral da Sé, em Olinda. Às 16h será celebrada uma missa de corpo presente. Após a celebração o corpo seguirá para João Pessoa-PB onde continuará a ser velado. O enterro será nessa segunda-feira, às 16h, em João Pessoa.

Deixamos aqui a nossa homenagem a esse grande pastor que encheu de luz e esperança os caminhos por onde passou e que, ao lado de Dom Helder, entendeu o verdadeiro significado de preservação e cuidado com a vida dos mais fracos e oprimidos.

Partiu no dia seguinte ao dedicado a Dom Oscar Romero, como a nos lembrar que também foi um mártir que, embora tenha sobrevivido à ditadura militar, aos abusos físicos e psicológicos, seus sofrimento e a sua luta nos deixam um legado e um exemplo que só as grandes almas podem oferecer para guiar a caminhada rumo à construção do Reino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário