MENU

quarta-feira, 5 de julho de 2017

OUTRAS PALAVRAS : DOM HELDER E A SINFONIA DOS DOIS MUNDOS


Por Marieta Borges*



Algum dia você soube que Dom Helder Camara também possui - entre as suas obras - uma SINFONIA, já apresentada pelo Mundo inteiro, inclusive na terra onde ele viveu seus últimos anos de vida, que é Pernambuco / Brasil???

Pois essa é uma das criações maravilhosas daquele homem iluminado, nascido em 1909. Para fazê-la, ele procurou o musicista Padre Pierre Kaelin, autor de uma Cantata famosa, “Messire François” (na qual São Francisco de Assis de Assis pede perdão a Deus por ter se deixado abater pela tristeza).

Conversaram. Trocaram ideias. Dom Helder falou da sua luta em favor dos mais necessitados, do seu sonho de usar a Música como instrumento em prol da Justiça e da Paz, fruto do seu desejo de ajudar a “criar um Mundo mais justo e mais humano”. Nas mãos do Padre Kaelin foi deixado o resumo daquilo que movia nosso pastor ao pensar numa “Peregrinação da Paz”, circulando pelo mundo, provocando mudanças de modo pacífico, mas corajoso, em todo o terceiro mundo.


Dessa parceria nasceu a SINFONIA DOS DOIS MUNDOS... Um texto primoroso, criado por Dom Helder, tendo-o como “Recitante”, em todas as apresentações, até sua partida para a Casa do Pai, “transfigurada” (como o próprio Dom considerava) permeada de uma música lindíssima, composta em seis movimento de uma Sinfonia.

E a bela composição ganhou o mundo, mesmo... Começou em 1980, em Genebra, na Suíça (País do maestro e parceiro). Ainda naquele ano, era a vez de Friburgo, na Alemanha. Foi lançado em Disco e Vídeo-Cassete em 1981. Foi para a França, em 1982, apresentada em Paris e Marseille. No mesmo ano foi a vez de Avignon, Parma, garia à Roma, Florença, Marseille e Strasburg. Atravessou o oceano em 1983 e chegou ao Canadá (em Sherbrookw), aos Estados Unidos (em St. Louis e Madison). E voltou à Europa, sendo apresentada em Paris, em Bruxelas, na Antuérpia, em Bois-le-Duc, em Milão... Em 1984 foi a vez de Toledo. Em 1985, Bois-lu-Dic, San Sebastian, Bilbao, Pamplona, Montididéo, Kordsdorf, Genève e, enfim, o Brasil – Rio de Janeiro (“Projeto Aquário”), João Pessoa e Olinda (“Projeto Acauã). Em 1988 for apresentada na Catalunha. Em 1989 em Kortruk, Izagem, Costende, Jeper, Gent, Brugge, Suenos Aires, Sevilha e Friburgo. Em 1990 em St. Galen e Zurich. Em 1991, em Joliete... E passaram-se dezesseis anos para que a Sinfonia voltasse aos palcos, no Recife, como parte do projeto musical “Virtuosi”, em 2007.

Em todas as apresentações foi sempre o Dom o “Recitante”, com sua voz tão característica... Após a sua partida, na primeira apresentação feita no Recife, foi o Padre Antônio Maria que assumiu, emocionado, a tarefa...

E como se desenrola a SINFONIA DOS DOIS MUNDOS:

* No I Movimento, imagina o homem diante de Deus, reconhecendo que a Criação era a prova da “audácia e da humildade do Criador”;
* No II Movimento, é a Criação que se volta para o homem, escolhido para ser o Co-Criador, avisando “A Natureza toda te contempla”;
* No III Movimento é o Homem que luta entre a inteligência e o egoísmo, que atrapalham a vida no homem na terra;
* No IV Movimento surge a Esperança diante dos problemas enfrentados tanto nos Países pobres como nos Países ricos, que faz o Espírito de deus soprar sobre o Universo;
* No V Movimento nos lembra que a Miséria gera a Violência, sendo a causa da “Espiral da Violência, que parece não ter fim;
* No VI e último Movimento é a Esperança que renasce, na voz das crianças, sinalizando que “QUANTO MAIS NEGRA É A NOITE, MAS BELA É A AURORA QUE ELA CARREGA NO SEU SEIO”.

Os textos de Dom Helder são extraordinários... Falam das relações entre o Homem e o seu Criador. Apontam uma luta de classes, claramente identificada na expressão questionadora QUEM VAI GANHAR??? Alimentam a esperança no sopro alentador do Espírito Santo, único capaz de fortalecer o Homem e faze-lo acreditar-se capaz de enfrentar e vencer a violência, identificando muito bem, no coro final, o canto dos “pessimistas” e a esperança dos “otimistas”.

Se Deus permitir, os que preparam a celebração dos cem anos de nascimento de Dom Helder Camara, tudo farão para que a SINFONIA DOS DOIS MUNDOS volte a ser apresentada, com sua mensagem de força e de fé, apregoada nos valiosos ensinamentos desse profeta do século XX:

“Aurora, após a noite,
Tu verás dois mundos reunidos?
Um canto, uma sinfonia!
Dois mundos reunidos!
Um canto!

Quem vai ganhar,
homem meu irmão!?...
O Espírito sopra
no meio da noite


*Postado  no Blog de Marieta Borges em seus blog em  26 de setembro de 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário