MENU

terça-feira, 22 de agosto de 2017

ATUALIDADES: COMISSÕES DE JUSTIÇA E PAZ - CHAMADA PARA O GRITO DOS EXCLUÍDOS


MENSAGEM DA COMISSÃO BRASILEIRA DE JUSTIÇA E PAZ 
E DA COMISSÃO DE JUSTIÇA E PAZ DA ARQUIDIOCESE DE OLINDA E RECIFE



A esperança tem duas filhas lindas: a indignação e a coragem.
A indignação nos ensina a não aceitar as coisas como elas estão;
a coragem, nos ensina a mudá-las” (Santo Agostinho)


A Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Olinda e Recife, que integra a Rede Brasileira Justiça e Paz, reunida em 14 de agosto de 2017 resolveu subscrever a mensagem saída da reunião de 11 e 12 de agosto de 2017  da Comissão Brasileira Justiça e Paz, organismo vinculado à CNBB, sobre os últimos acontecimentos que afetam a vida nacional e de apoio ao “GRITO DOS EXCLUÍDOS”
 
MENSAGEM


“Irmãs e irmãos, as ocorrências dos últimos dias têm motivado valiosos pronunciamentos da vida religiosa consagrada e diversas expressões de nossa estrutura eclesial, desde a lição do Santo Padre a pronunciamentos da CNBB.

Permitimo-nos indicá-los:

a) a mensagem do Santo Padre aos jovens na comemoração de Aparecida;
b) a nota publicada pela II Assembleia da Província Jesuíta do Brasil, em 28 de Julho de 2017;
c) a proclamação das Pastorais Sociais da CNBB, datada de 1º de Agosto de 2017;
d) a entrevista concedida por D. Luiz Demétrio Valentini, em 2 de Agosto de 2017, ao portal da CNBB;
e) a Mensagem da Conferência Franciscana do Brasil: indignação e esperança, publicada em 06 de agosto de 2017. 

Cumpre chamar atenção da entrevista do Prof. Juarez Guimarães ao Portal Sul 21, também compartilhada e divulgada por nós. O Prof. Guimarães compartilhou conosco suas reflexões na abertura da Sessão da CBJP.

Todas essas mensagens foram enviadas e amplamente divulgadas entre os membros de nossa rede.

Fecundos e oportunos são os ensinamentos que se podem colher de tais documentos para nossas ações em prol do bem comum. A linha que perpassa essas manifestações é a preocupação com as ofensas a valores democráticos que devem estar presentes no alicerce da sociedade pátria. Ali se condenam as ofensas a Justiça, a Ética, a Probidade, a Verdade, a Segurança, a Credibilidade, a Coerência e a outros princípios que deveriam nortear as autoridades públicas brasileiras e as instituições da República.

Neles se critica duramente a supressão de direitos e garantias do povo, especialmente os segmentos mais carentes, ingentemente conquistados. A revogação ou minimização destes benefícios é realizada de forma inaceitável, sob falsos argumentos que invertem os cânones das prioridades sociais e humanas. Trabalhadores perdem seus direitos previstos na CLT, estudantes veem a educação deixar de ser um dever do Estado, quilombolas e indígenas ameaçados de perderem os direitos sobre suas terras originais que se tornam objeto de especulação, contribuintes da previdência social são ameaçados com a redução drástica de seus benefícios, os serviços públicos de saúde definham à míngua de verbas orçamentárias,  as finanças públicas mais atendem aos interesses do mercado rentista do que às finalidades do bem comum, as garantias jurídicas do devido processo legal são aplicadas desigualmente ou simplesmente postas de lado, as regras políticas eleitorais são ameaçadas de criarem  pleitos ainda mais antidemocráticos e viciados pelo poder econômico.

Em tempos assim difíceis, aos cristãos, não se espera a indiferença ou o alheamento. É dever nosso, como a cada momento lembra o Santo Padre, o de participar efetiva e engajadamente na luta inadiável pelo bem comum, em todos os níveis.

Nesse espírito de indignação e esperança, convidamos a todos e especialmente as comissões justiça e paz de nossa rede a se engajar nos preparativos do Grito dos Excluídos (as) previsto para 07 de setembro de 2017, pois em nosso entendimento, este poderá cumprir importante e decisivo papel de articulação e mobilização da esperança.

Os documentos cuja reflexão aqui se aponta, constituem uma orientação segura neste árduo caminho, uma luz a nos guiar”.

 
Concentração: praça do Derby, 09h da mahã

Comissão Brasileira Justiça e Paz, organismo Vinculado a CNBB


Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Olinda e Recife

Nenhum comentário:

Postar um comentário