MENU

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

QUE VENHAM A MIM OS PEQUENINOS




“Não devemos temer a utopia. Gosto de repetir muitas vezes que, ao sonharmos sozinhos, limitamo-nos ao sonho. Quando sonhamos em grupo, alcançamos imediatamente a realidade. A utopia, compartilhada com milhares, é o esteio da história”. Dom Helder Camara
Quarta-feira, 27 de setembro, foi um dia muito especial para as Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, Província do Recife, para um vincentino que mora  bem longe, lá na Holanda, o querido Pe. João Pubben e para a diretoria do IDHeC – Instituto Dom Helder Camara, que realizava a sua reunião semanal.


 “Ás 16h começamos a ouvir um canto de São Vicente, entoado pelos pobres que recebem a sopa na porta da Igreja. Sabíamos o motivo porque o IDHeC foi convidado para a festa: inauguração de um espaço construído pelas vicentinas, nossas vizinhas, para a distribuição da sopa para os pobres”, nos conta a conselheira Bete Barbosa.  

Mas vamos voltar um pouco no tempo e falar de como surgiu a ideia.

O inverno em Recife esse ano foi muito rigoroso. As fortes chuvas que caíram levantaram uma grande preocupação para a provincial Irmã Maria Ilza Ferreira: como distribuir a sopa com toda aquela chuva? Não era possível distribuir o alimento enquanto as pessoas se molhavam.

E foi por isso que ela resolveu ir atrás de por em prática um projeto acalentado há algum tempo de construir um espaço para a distribuição da sopa no terreno da Casa Provincial. Um espaço digno, com uma instalação humanizada e acesso para a rua. E construir um espaço digno, no terreno da Casa provincial, com portão específico e instalação humanizada. E atendendo às orações e aos anseios da Família Vicentina um benfeitor assumiu os custos do projeto e construiu o Espaço São Vicente. O benfeitor preferiu ficar no anonimato, mas, com certeza, o agradecimento das irmãs e de todos os beneficiados pelo projeto que ele financiou chega até ele.

A Diretoria do IDHeC seguiu os cantos que escutavam vindo das vizinhas  e foram até o local que estava sendo inaugurado e se surpreendeu com uma festa grandiosa por sua simplicidade.

O espaço, revestido e com piso de cerâmica, tem pia com espelho, mesas, cadeiras e é aberto para o jardim, estava lotado. A cerimônia de inauguração foi conduzida por uma Irmã jovem, que apresentava as atrações: umas 10 ou 12 crianças, a maioria entre 7 e 10 anos, todas tocando violinos, acompanhadas por um professor em um teclado teclado.


Outro grupo de crianças tocou maracatu e no fim, todas juntas, cantaram o hino de São Francisco. Essas crianças são da comunidade do Maruim, assistidas pelas vicentinas da Igreja de Sta. Teresa, no limite entre Recife e Olinda.  


Todos os beneficiados pela sopa foram cadastrados e receberam camisetas.  
O Pe. Moreira deu uma bênção e, em seguida, foi servido um generoso lanche, servido em bandejas caprichosamente arrumadas e, ao final,  um delicioso bolo.



Pe. João foi muito lembrado pelos diretores e conselheiros do IDHeC,  presentes ao evento, não apenas por sua devoção a São Vicente, mas por sua vida dedicada aos pequeninos de Deus.

A construção desse espaço é a continuação do trabalho de Dom Helder, que sonhou com o ano 2.000 sem miséria.



Parabéns a Irmã Ilza,  Irmã Maria José e a toda à Família Vicentina da Província de Recife por esse espaço onde a fome de pão será saciada e onde Deus estará de braços abertos recebendo a todos e todas com ternura e amor. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário